História

Antiguidade

Os surdos foram maltratados ao longo da história. Foram vítimas de extermínio e segregação pois eram olhados como uma aberração.

No Egipto os surdos eram adorados mas na China, por exemplo, eram atirados ao mar. Só no fim da Idade Média é que começou a ser encarado como uma deficiência auditiva, sob o ponto de vista científico. Os Romanos privavam o Surdo de todos direitos legais. Eram confundidos como retardados. Não podiam se casar (até séc. XII).

Foi na Idade Moderna que se distinguiu, pela primeira vez, surdez de mudez. A expressão surdo-mudo, deixou de ser a designação do Surdo.

Século XVI

  • Girolamo Cardano (1501-1576)
    Médico italiano interessado em estudar o caso do seu filho surdo. Cardano encontrou por casualidade o livro de Rudolphus Agricola. Defendeu que o emprego de palavras faladas não era indispensável para se compreender as ideias, mas defendeu que era necessário aprender a ler e a escrever.
  • Pedro Ponce de Leon (1520-1584)
    Monge beneditino católico, estabeleceu a primeira escola do Mundo para pessoas surdas, no Mosteiro de S. Salvador, perto de Madrid. Ensinou aos surdos primeiro a escrever mostrando-lhes o objecto, depois vocalizavam as palavras a que correspondiam. Foi o criador deste método a que os alunos reagiam bem. Guardou os registos dos seus métodos, mas foram destruídos por um incêndio.

Século XVII

  • Juan Pablo Bonet (1579-1620)
    Educou elementos surdos da mesma família nobre. Em 1620 publicou A Simplificação do som e a forma de ensinar o surdo a falar. Acreditava que era imprescendível ensinar o surdo a aprender um alfabeto manual.
  • Juan Bulwer (1614-1684)
    Médico inglês. Publicou  em 1644, A Língua Natural da Mão e A Arte da Retórica Manual. Estava convencido que a língua manual era natural de todos os homens, sobretudo para os surdos e era útil o uso de um alfabeto manual.
  • Jorge Dalgarno ( ? -1687)
    Em 1680, Dalgarno publicou O Tutor do Homem Surdo e Mudo. Neste livro defendia diferentes maneiras de ensinar a língua aos surdos. Defendia que a que a utilização do alfabeto manual era mais prático.

Século XVIII

  • Carlos Michel de L´Epee (1712-1789)
    Foi sacerdote durante 25 anos e mais tarde interessou-se pelo ensino dos surdos. Em 1760, iniciou o Refúgio para o Surdo em Paris para surdos de meios sociais desfavorecidos  e ensinou as crianças surdas na escola em Truffaut, França, entre 1762-63. Em 1776, publicou Instrução do Signo Surdo e Mudo Metódico. Ficou famoso na Europa devido ao seu trabalho com os surdos. Reconheceu o valor da Língua Gestual dos surdos. Contudo, segundo Lane (1997), ele não entendeu que existia uma verdadeira linguagem estruturada entre surdos. Assim, tentou criar um sistema de gestos e gramática francesa oral.
  • Abbe Roch Sicard (1742-1822)
    Foi aluno de Carlos Michel de L´Epee para ser professor de surdos e designaram director da escola. Em 1782, abriu uma escola para surdos em Bordéus. Escreveu A Teoria dos Signos.
  • Samuel Heinicke (1727-1790)
    Os métodos de Heinicke eram estritamente orais. Opôs-se fortemente à utilização da linguagem de signos. Teve grande sucesso no ensino a um jovem que aprendeu a falar, a ler os lábios e a escrever. Em 1778, abriu a primeira escola para os surdos na Alemanha. Ficou conhecido como o Padre do Método Alemão.
  • Thomas Braidwood (1715-1806)
    O homem mais excepcional em Inglaterra, preocupado com a educação dos surdos. Em 1760, fundou, em Edimburgo, a primeira escola na Grã-Bretanha como academia privada. Em 1783, transferiu-se para Londres e recomendou o uso de um alfabeto onde se utilizassem as duas mãos que ainda hoje está em uso na Inglaterra.

Século XIX

  • Thomas Hopkins Gallaudet (1787-1851)
    Juntamente com Laurent Clerc fundou a primeira escola de surdos na América. Depois de ter aprendido os métodos de ensino com Sicard.
  • Laurent Clerc (1787-1851)
    Estudante surdo que trabalhou com L´Epee e Sicard, deu aulas na Instituição Real para o surdo em Paris. Em Abril de 1817, juntamente com Gallaudet estabeleceram a primeira escola em Hartford, Connecticut.
  • Alexandre Graham Bell (1847-1922)
    Em 1872, abriu uma escola de educação para professores de surdos, em Boston. Bell tentou encontrar algum meio mecânico de modo a tornar o discurso visível e desenrolar a amplificação. Durante as experiências inventou o telefone. Era contra o uso da Língua Gestual.~
  • Congresso de Veneza Em 1872, no Congresso de Veneza, decidiu-se o seguinte:
  • O meio humano para a comunicação do pensamento é a língua oral;
  • Se orientados, os surdos lêem os lábios e falam;
  • A língua oral tem vantagens para o desenvolvimento do intelecto, da moral e da linguística
  • Conferência de Milão de 1880
  • A 6 de Setembro de 1880, os educadores de surdos de todos os países reuniram-se em Milão para um Congresso Mundial de Educação de Surdos. As discussões foram sobre os edifícios e os métodos de ensino. Cada representante falou sobre o método usado na instrução e educação. Todos os países com excepção dos Estados Unidos adoptaram o método oral como o preferido.O Congresso de Milão, em 1880, foi um momento obscuro na História dos surdos, uma vez que que lá um grupo de ouvintes tomou a decisão de excluir a língua gestual do ensino de surdos, substituindo-a pelo oralismo (o comité do congresso era unicamente constituído por ouvintes.). Em consequência disso, o oralismo foi a técnica preferida na educação dos surdos durante fins do século XIX e grande parte do século XX.O Congresso durou 3 dias, nos quais foram votadas 8 resoluções, sendo que apenas uma (a terceira) foi aprovada por unanimidade. As resoluções são:
  1. O uso da língua falada, no ensino e educação dos surdos, deve preferir-se à língua gestual;
  2. O uso da língua gestual em simultâneo com a língua oral, no ensino de surdos, afecta a fala, a leitura labial e a clareza dos conceitos, pelo que a língua articulada pura deve ser preferida;
  3. Os governos devem tomar medidas para que todos os surdos recebam educação;
  4. O método mais apropriado para os surdos se apropriarem da fala é o método intuitivo (primeiro a fala depois a escrita); a gramática deve ser ensinada através de exemplos práticos, com a maior clareza possível; devem ser facultados aos surdos livros com palavras e formas de linguagem conhecidas pelo surdo;
  5. Os educadores de surdos, do método oralista, devem aplicar-se na elaboração de obras específicas desta matéria;
  6. Os surdos, depois de terminado o seu ensino oralista, não esqueceram o conhecimento adquirido, devendo, por isso, usar a língua oral na conversação com pessoas falantes, já que a fala se desenvolve com a prática;
  7. A idade mais favorável para admitir uma criança surda na escola é entre os 8-10 anos, sendo que a criança deve permanecer na escola um mínimo de 7-8 anos; nenhum educador de surdos deve ter mais de 10 alunos em simultâneo;
  8. Com o objectivo de se implementar, com urgência, o método oralista, deviam ser reunidas as crianças surdas recém admitidas nas escolas, onde deveriam ser instruídas através da fala; essas mesmas crianças deveriam estar separadas das crianças mais avançadas, que já haviam recebido educação gestual, a fim de que não fossem contaminadas; os alunos antigos também deveriam ser ensinados segundo este novo sistema oral.
  • As atitudes de proibição de gestos não terminaram com as escolas especiais que ensinavam códigos de sinais aos surdos. Com os estudos efectuados por William Stockoe (1960)e Bellugi e Klima (1977) está situação alterou-se. No artigo de Stokoe chegaram mesmo a conclusão da existência da Língua Gestual pois obedecia a regras de construção de frases e palavras e tinham uma gramática própria. Foi atribuído o estatuto de Língua.

Referências:

http://www.casasonotone.com/surdez

http://www.dfjug.org/DFJUG/rybena/rybena_linha_tempo.jsp

Todas as 8 resoluções: História dos surdos no Mundo, página 66-68

5 Respostas to “História”

  1. Luana Dias Says:

    Gostei muito deste trabalho, atravez do qual pude conhecer mais sobre a história da pessoa surda.

  2. Simone L. F. Guimarães Says:

    Lidar com pessoas que não falam deve ser uma maravilha, porque hoje em dia tem gente que fala tanta asneira e tem umas vozes tão enjoadas e uns sotaque tão irritantes, que seria melhor lidar com surdos e mudos. Pelo menos trabalhar com eles evita-se aborrecimento. Nada melhor que o silêncio!

    Abraços,

    Si Twingle :-)

  3. kaythmires Coelho Fernandes oliveira Says:

    o ensino fundamental I deveria ter aulas de libras, para desde do inicio do processo de alfabetizacão as crianças podessem conhecer os sinais,e procurando despertando nas criasnças o quanto e divertido se comunicar em sinais, isto iria favorecer a socialização e a inclusão de crianças surdas

  4. solange wasen Says:

    Como as pessoas que tem dificuldade para ouvir e se espresar sofreram e tiveram que lutar sem falar para que alguém os ouvisse e os ajudasse.

  5. celita Ferreira da Silva Says:

    Ainda bem que tem como comunicar com os surdos e mudos, só estudando para que possamos entender e falar com eles

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: